quarta-feira, 24 de outubro de 2012

'Mulher' by Denilce Luca                                  (Painting by Montse Valdés)


nem mais sei quantas faces tenho
quantos seres abrigo
sou o ser cuja vagina é a origem da vida e a porta do prazer
cujos seios amamentam e despertam desejos

santa aos olhos dos que concebi e deliciosamente profana aos olhos daquele que me penetra a carne e me dá seu gozo
dona da boca que sussurra a canção de ninar e palavras sujas ao contorcer o corpo de prazer

 o ser que chora e acalenta

o  mais frágil e o mais forte
o mais sensível e impiedoso
o mais estável e  mais intenso
perdido em  insanidade e preso na sobriedade

a que se ajoelha aos pés do único e é altiva por ser a rainha por ele eleita
a dona do ventre que abriga a carne de minha carne e o sêmen do amado
abençoada e maldita

não sei quantos seres, prazeres e dores abrigo
nem mais sei quantas faces tenho...


4 comentários:

  1. Perfeito, Denilce!
    A mulher é tudo isso e tanta coisa mais...
    Gostei imenso!

    ResponderExcluir
  2. Obrigada Dulce querida! Fico feliz que tenha gostado! Um carinhoso abraço!

    ResponderExcluir